Hospitais filantrópicos pedem socorro à Assembleia Legislativa

A constatação da deterioração das finanças dos hospitais, representantes da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Paraná (Femipa) acabaram de sair de uma reunião na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa. Os médicos Álvaro Luis Lopes Quintas e Charles London, vieram pedir socorro para a mobilização que iniciaram hoje.

Entre as reivindicações, está a volta da cobrança, pelos hospitais, dos atendimentos a pacientes vítimas de acidentes de trânsito. Até dezembro do ano passado, o DPVAT podia ser pago diretamente aos hospitais. Agora, não pode mais, graças a uma Medida Provisória aprovada no Congresso Nacional, feita a pedido da Federação Nacional das Seguradoras. Também pedem reajuste da tabela do SUS.

“A cada R$ 100,00, os hospitais perdem R$ 35,00. E as perdas se acentuam cada vez mais. E isso significa redução da oferta de leitos, dificuldades na assistência médica, dificuldades tecnológicas, entre outros problemas gerados pela insuficiência de recursos”, reclamou, Charles London.

Segundo Álvaro Quintas, em 15 anos, a tabela foi reajustada em 46%, enquanto que a inflação, nesse período, ultrapassou 450%. E tem mais, ele contou que, em 10 anos, o Paraná perdeu 100 hospitais, que fecharam por falta de recursos. O deputado Ney Leprevost (PP), presidente da Comissão de Saúde da AL, encampou a ideia da mobilização e disse que vai partir do Paraná uma campanha, com a expectativa de recolher 100 mil assinaturas, para regulamentação da emenda 29 e o reajuste da tabela do SUS.

A constatação da deterioração das finanças dos hospitais, representantes da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Paraná (Femipa) acabaram de sair de uma reunião na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa. Os médicos Álvaro Luis Lopes Quintas e Charles London, vieram pedir socorro para a mobilização que iniciaram hoje. Entre as reivindicações, está a volta da cobrança, pelos hospitais, dos atendimentos a pacientes vítimas de acidentes de trânsito.

Até dezembro do ano passado, o seguro DPVAT MG podia ser pago diretamente aos hospitais. Agora, não pode mais, graças a uma Medida Provisória aprovada no Congresso Nacional, feita a pedido da Federação Nacional das Seguradoras. Também pedem reajuste da tabela do SUS. “A cada R$ 100,00, os hospitais perdem R$ 35,00. E as perdas se acentuam cada vez mais. E isso significa redução da oferta de leitos, dificuldades na assistência médica, dificuldades tecnológicas, entre outros problemas gerados pela insuficiência de recursos”, reclamou, Charles London.

Segundo Álvaro Quintas, em 15 anos, a tabela foi reajustada em 46%, enquanto que a inflação, nesse período, ultrapassou 450%. E tem mais, ele contou que, em 10 anos, o Paraná perdeu 100 hospitais, que fecharam por falta de recursos. O deputado Ney Leprevost (PP), presidente da Comissão de Saúde da AL, encampou a ideia da mobilização e disse que vai partir do Paraná uma campanha, com a expectativa de recolher 100 mil assinaturas, para regulamentação da emenda 29 e o reajuste da tabela do SUS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *